Participe!

Participe!

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

O que é essencial no matrimônio?




A juíza do Tribunal Eclesiástico da Arquidiocese de Niterói, Sylma Braga, que abordou os aspectos essenciais para um matrimônio católico válido, segundo o Código de Direito Canônico, durante o Congresso Arquidiocesano de Pastoral Familiar, que aconteceu no dia 27 de outubro, na sede da Arquidiocese do Rio, na Glória, continua com o tema...

A juíza explicou a diferença entre casamento inexistente e nulo. “Nós usamos a palavra “casamento nulo” ou “não válido”, mas esse português não é muito adequado, porque quando eu digo que um casamento é inexistente, é porque ele não existe em lugar nenhum. E para eu dizer que um casamento é nulo, ele precisa ter existido e sido anulado ou cancelado. Um casamento é inexistente quando faltam elementos que indicam que ele é válido como sacramento”, afirmou.
Ela explicou que o casamento é inexistente quando “no momento do sim” tiverem sido excluídas propriedades essenciais, como a indissolubilidade, a fidelidade e a unidade. Ela alertou que para um casamento ser válido, a pessoa não pode querer fazer um pacote “isso eu quero, isso eu não quero”, escolhendo apenas algumas coisas e não o sacramento.

Sacramento do amor
“Todos nós que somos batizados, deveríamos ter uma relação de Jesus para Jesus. Tudo o que eu fizer ao outro é a Jesus que eu faço. Isso dentro do matrimônio tem um significado muito maior. Quando eu vou me casar, eu faço essa escolha de Deus na pessoa do meu cônjuge, ou seja, tudo o que eu fizer é para Jesus que eu faço. Assim como disse Jesus ‘Tive fome e me deste de comer, estava doente e me visitaste’ (Mt 25, 35-36), Ele vai nos dizer um dia ‘Eu estava no teu esposo, como é que tu me amaste nele? Eu estava na tua esposa, como é que tu cuidaste dela?’ Pensando assim, cai por terra tudo aquilo que não é matrimônio, como a infidelidade e muitas coisas que mancham o casamento”, ressaltou.