Participe!

Participe!

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Catequese e Família


video

Curso de Paternidade e Maternidade Responsáveis


Curso voltado para casais descobrirem a beleza do plano divino para o amor humano pelo planejamento natural da família. 
Colaboração de apenas R$ 10,00 para as refeições do dia. Formação dada pelos casais Tatiana e Ronaldo de Melo, da Pastoral Familiar, e Luiz e Luciana Ribeiro, do Instituto Pró-Família. 
Conheçam as bases morais e médicas para a regulação inteligente dos nascimentos e o verdadeiro respeito à fertilidade humana. 
Inscrições até 01 de junho pelo formulário virtual: https://goo.gl/forms/qBASzYiW6w89CgOP2. 
Maiores informações pelo e-mail: pasfam.pnsd@gmail.com. 
Compareçam e ajudem na divulgação!

sexta-feira, 26 de maio de 2017

7º Simpósio Nacional das Famílias em Aparecida terá transmissão ao vivo pelo Youtube

A Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reunirá membros da Pastoral Familiar de todas as partes do Brasil para a 9ª Peregrinação e o 7º Simpósio Nacional da Família em Aparecida (SP), nos dias 27 e 28 de maio.

O Simpósio que acontece no dia 27 de maio, a partir das 8h no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida nas dependências do Santuário Nacional, terá transmissão ao vivo pelo canal do Portal A12 no Youtube (youtube.com/canalportala12) durante toda a programação.
A programação do Simpósio contará com conferências de assuntos relacionados a vida familiar.
A doutora Maria Inês de Castro Millen, médica, mestre em Ciência da Religião e doutora em Teologia, apresentará a partir da visão da mulher, a Exortação Apostólica pós-sinodal do papa Francisco “Amoris Laetitia – sobre o amor na família”.
A conferência sobre o tema e lema do Simpósio e da Peregrinação, “Família: uma luz para vida em sociedade” - “Vós sois a Luz do Mundo” (Mt 5, 14) será conduzida pelo bispo de Osasco (SP) e referencial para a família, Dom João Bosco Barbosa de Sousa.
O assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, padre Antônio Ramos do Prado, falará sobre o acompanhamento de adolescentes e jovens na família à luz do capítulo VII da exortação Amoris Laetitia.
O casal de membros da Pastoral Familiar e ex-coordenadores do Instituto Nacional da Família e da Pastoral Familiar (Inapaf), João Bosco Lugnanie Aparecida Eunides Lugnani apresentarão o projeto que desenvolvem no YouTube “Vida, família e fé, em testemunhos”.
Durante a programação do Simpósio ainda haverá apresentação de experiência de uma equipe de Regional da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF).
As conferências do Simpósio acontecem das 8h às 15h e todas serão transmitidas ao vivo pelo Portal A12.

Fonte: http://www.a12.com/noticias/detalhes/7o-simposio-das-familias-em-aparecida-tera-transmissao-ao-vivo-pelo-youtube

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Emmanuel, o recém-nascido abandonado no lixo e salvo pela Madre Teresa


O seminarista francês Emmanuel Leclercq é autor, entre vários outros livros, de “Méditer avec Mère Teresa” (“Meditar com a Madre Teresa”). Doutor em filosofia moral, ele esteve em Roma neste fim de semana para a canonização da Madre Teresa de Calcutá e deu uma entrevista à rádio francesa RTL, na qual narrou a sua história singular.
Emmanuel contou que nasceu em 9 de setembro de 1982 na favela Amravaki, de Bombaim, e, dez dias depois, foi abandonado pela mãe em uma lata de lixo em frente a um orfanato da congregação das Missionárias da Caridade.
Quis a Providência que, naquele mesmo dia, a própria Madre Teresa fosse visitar o local e encontrasse a criança, imediatamente levada para dentro daquela que Emmanuel considera a sua primeira casa de verdade.
Eu devo tudo à Madre Teresa. Devo a ela o meu nascimento, devo a ela, por completo, toda a minha vida“, disse o seminarista. Se não fosse por ela, acrescentou, “eu não estaria aqui na Praça de São Pedro para agradecer ao Senhor e rezar“.
Depois algum tempo aos cuidados das missionárias, Emmanuel teve a graça de ser adotado. Seus novos pais eram um casal francês e seus novos quatro irmãos eram um indiano, um haitiano e dois franceses. “Uma comunidade de amor“, resume ele.
Emmanuel voltou à Índia, faz algum tempo, a fim de visitar a casa que o acolheu logo que fora abandonado. Ele trabalhou com as Missionárias da Caridade e conheceu uma freira, já idosa, que tinha sido testemunha do seu “nascimento” naquela casa. Por meio dela, recorda Emmanuel, ele veio a conhecer melhor a própria história.
Hoje doutor e seminarista da diocese de Avignon, Emmanuel Leclercq fez da fé o motivo central da sua vida.
“Na palavra ‘abandonner’ está a palavra ‘donner’“, observa ele, em referência aos termos franceses para “abandonar” e “doar”. E continua, demonstrando compreensão e misericórdia para com sua mãe biológica, que se viu forçada pela miséria a abandoná-lo diante do orfanato das missionárias:
A minha mãe me abandonou para me doar a vida, e me doou a vida de uma forma extraordinária, porque foi a Madre Teresa que me tornou digno dessa vida“, concluiu Emmanuel, depois de acrescentar ainda a sua admiração e reverência por outro santo que viveu a mesma época da agora Santa Teresa de Calcutá e que foi um grande amigo dela: São João Paulo II.
Fonte: https://pt.aleteia.org/2016/09/08/emmanuel-o-recem-nascido-abandonado-no-lixo-e-salvo-pela-madre-teresa/

sexta-feira, 19 de maio de 2017

"Família restaurada, sociedade estruturada"


A Pastoral Familiar da Arquidiocese do Rio de Janeiro promoverá no próximo sábado, dia 20 de maio, das 8h às 12h, a 'Formação para as Famílias'. O encontro, que terá como tema "Família restaurada, sociedade estruturada", contará com a participação e condução do bispo auxiliar da arquidiocese e animador da Pastoral Familiar, Dom Antonio Augusto Dias Duarte.
A formação será realizada no Auditório do 2° andar do Edifício João Paulo II, localizado na Rua Benjamin Constant, 23, na Glória. Mais informações pelo telefone (21) 2292-3132 ramal 402.
Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5758/familia-restaurada-sociedade-estruturada

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Onde foi que eu errei?


Educar os filhos na Fé Católica - Aula ao Vivo 2


Educar os filhos na Fé Católica - Aula ao Vivo 1


Como vai a catequese de seu filho? - Módulo 3 - Aula 2


Como vai a catequese de seu filho? - Módulo 3 - Aula 1


Desautorizar o cônjuge é minar o futuro do filho - Módulo 3


Amizades de nossos filhos - Módulo 3 - Aula 3


Amizades de nossos filhos - Módulo 3 - Aula 2


Amizades de nossos filhos - Módulo 3 - Aula 1


Como sermos bons pais? - Módulo 3 - Aula 2


Como sermos bons pais? - Módulo 3 - Aula 1


Ensinar os Filhos a Rezar - Módulo 2 - Aula 2


Ensinar os Filhos a Rezar - Módulo 2 - Aula 1


Curso Educar os Filhos na Fé Católica - Módulo 1 - Aula 4


Curso Educar os Filhos na Fé Católica - Módulo 1 - Aula 3


Curso Educar os Filhos na Fé Católica - Módulo 1 - Aula 2


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Marcha pela vida: Rio unido contra o aborto


Aconteceu no dia 7 de maio, na orla da Praia de Copacabana, a quinta edição “Marcha da Cidadania pela Vida”. Organizada pelo Movimento da Cidadania pela Vida - Brasil sem Aborto do Estado do Rio de Janeiro, a marcha reuniu centenas de pessoas, incluindo membros da arquidiocese e demais representantes religiosos em defesa do nascituro.
O arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, esteve presente na abertura oficial do evento e falou ao público sobre a importância de manifestar pelo valor da vida. “Num momento de tanta violência e descrédito das autoridades, estamos aqui, todos juntos, pedindo respeito à vida. A ciência já sabe que a vida humana começa na concepção e vai até a morte natural e, por isto, merece ser dignificada em todos seus momentos. Queremos pedir que as mães gestantes sejam respeitadas e bem assistidas para que possam ver a beleza do que é gerar um filho. Que Deus abençoe este trabalho e esta missão”, disse. 
A marcha foi aberta com apresentações de teatro e dança, e seguiu em direção ao Leme com placas e cartazes pedindo respeito à vida. Houve coleta de assinaturas para serem encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF). 
O comando da caminhada ficou por conta da cantora católica e coordenadora geral do Comitê Estadual do Movimento Cidadania pela Vida, Zezé Luz, que frisou sobre a importância do respeito à lei. “Uma cultura de morte está sendo implementada, e nós não queremos o aborto no nosso país. Queremos verdadeiramente dar voz e vez às crianças. Nos alegramos por cerca de 87% da população brasileira ser ainda terminantemente contra o aborto, e pedimos aqui que o STF não aprove o aborto de bebês com microcefalia, pois precisamos que a vida prevaleça”, falou.
Estiveram presentes também representantes dos movimentos evangélico e espírita do Estado do Rio.
A coordenadora do movimento evangélico “Deixai vir os pequeninos”, Viviane Picorelli, partilhou uma experiência própria com o público, e deixou um recado para as mulheres: “Estou aqui para dizer a todas que é possível ser mãe mesmo na adolescência, e que um aborto pode trazer consequências terríveis para a vida”.
O médico pediatra e diretor de Relações Externas do Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro, Adriano Almeida, e a coordenadora das Relações Institucionais do Movimento da Estadual da Cidadania pela Vida, Jane Chantre, deixaram o apoio dos espíritas à marcha. “Acreditamos que é um crime interromper a vida dentro do útero. Legalizar o aborto é legalizar o homicídio em qualquer época da vida. É uma questão de lógica, não só de religião”, disse Adriano.
Jane Chantre reforçou que a vida é o primeiro direito do homem e da mulher: “A população precisa ver que todo ser humano tem direito de viver, e precisamos mostrar isto agora, antes que outros façam diferente. Não podemos deixar que o aborto seja legalizado neste país”, falou.

A ex-feminista, escritora e palestrante Sara Winter, de 24 anos, também esteve no evento. Sara largou o movimento radical e hoje se dedica à Igreja e a contar como uma vida insegura levou-a a cometer erros. “Eu apoiava o aborto disfarçado de direitos igualitários. Com a ajuda de amigas, fiz um aborto clandestino e me arrependi muito. Tive sequelas disto, e sei como é. O único que me ajudou neste momento foi um amigo cristão católico, por isto hoje tento explicar para as meninas que este não é o melhor caminho”, contou.
Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5721/marcha-pela-vida-rio-unido-contra-o-aborto