Participe!

Participe!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Novena de Natal


No primeiro domingo do Advento, iniciamos a preparação para o Natal. São quatro semanas em que somos convidados a abrir nossos corações para esperar a chegada do Menino Jesus. Todos os anos, a Arquidiocese do Rio de Janeiro lança a Novena de Natal. É uma orientação para que os católicos possam se preparar em suas famílias, suas comunidades, em seus grupos de oração e até mesmo sozinhos para receber o Salvador.

A novena deste ano tem um significado especial, pois o Natal deste ano está marcado por três eventos importantes: o Ano da Fé, a preparação da Jornada Mundial da Juventude Rio2013 e o 11º Plano Pastoral de Conjunto (PPC). Monsenhor Joel Portella Amado, coordenador Arquidiocesano de Pastoral, destacou que a novena traz um estilo todo especial, uma linguagem que é própria para os dias de hoje. “Ela envolve uma dinâmica de comunicação, é profundamente orante, ao contrário das outras que eram mais reflexivas”, disse.

Na sua introdução, a novena traz um texto que serve para a reflexão: “Em meio a toda agitação que marca nossas vidas neste tempo, precisamos parar, silenciar e, num profundo ato de fé, contemplar Jesus Cristo, o Salvador, deitado numa manjedoura.”

Segundo Monsenhor Joel, este ano, a novena é mais comunicativa, como se fosse um telejornal. “Cada encontro da Novena de Natal 2012 começa como se fosse um telejornal fazendo uma entrevista sobre um grande tema ligado à experiência de Natal, e isso faz com que ela seja também bastante acessível para as crianças”, informou.

Na reflexão sobre o 9º Encontro da Novena, Monsenhor Joel destacou uma pergunta: “Assim como José e Maria não tinham onde se hospedar para que Jesus nascesse, será que os peregrinos não terão um lugar onde ficar na JMJ Rio2013?”.

A novena, que contém a oração e o Hino da JMJ Rio2013, já está à venda nas paróquias, livrarias católicas e no almoxarifado do Edifício João Paulo II, na Glória.

Carlos Eduardo Bittencourt

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Reflexão 1º Domingo do Advento



Estamos iniciando mais um ano litúrgico. É o nosso “ano novo” cristão. Começamos com o Tempo do Advento e vamos vivendo os Mistérios de Cristo até culminar com a Festa de Cristo Rei do Universo, o que celebramos a semana passada. Neste sentido é bom lembrarmos que em nossa liturgia não ficamos presos no passado de tudo o que Cristo realizou e nem ficamos repetindo celebrações vivendo as mesmas coisas todos os anos. Não. Nossa vida litúrgica não é um olhar pra trás e nem uma repetição de celebrações, isto porque na liturgia não vivemos o “cromos” (cronometro) que é o tempo um dia após o outro, mas vivemos sim o “Kairós” que é o tempo da graça e neste sentido atualizamos a cada momento os mistérios de Cristo tudo o que Ele fez e realizou no hoje de nossa história.

Portanto viver o Tempo Litúrgico é viver o anamnese - o memorial dos mistérios de Cristo onde Cristo recapitulou em si toda a vida humana fazendo nova todas as coisas.

Portanto o advento é o inicio da celebração deste mistério onde esperamos ansiosos à chegada do Senhor que salvará seu povo da escravidão do pecado e da morte eterna. Isto nos refere à primeira leitura “farei brotar de Davi a semente da justiça, que fará valer a lei e a justiça na terra”. Deus em sua economia não cessa de proclamar pela boca dos profetas que irá libertar seu povo e que “Um renovo sairá do tronco de Jessé, e um rebento brotará de suas raízes”. (Is 11,1) É este renovo que esperamos neste Natal a chegada do Senhor que nasce indefeso numa manjedoura na pobreza mas com uma grande missão de fazer a vontade de Seu Pai no resgate da humanidade. Preparemos-nos para este encontro. Busquemos viver este advento como único em nossa vida para saborearmos as infinitas graças que o Senhor derrama sobre seu povo. Estamos no Kairós, não esqueçamos é tempo de graça e Deus não nos dá coisas velhas e passadas em Deus tudo é sempre novo, Deus não se repete.