quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Papa institui "Ciências sobre o Matrimônio e a Família"

Foi publicada esta terça-feira (19/09) uma Carta Apostólica do Papa Francisco em forma de “Motu próprio” a respeito da família.
Com a “Summa familiae cura”, o Papa institui o Pontifício Instituto Teológico João Paulo II para as Ciências do Matrimônio e da Família que, ligado à Pontifícia Universidade Lateranense, substitui o Pontifício Instituto João Paulo II para os Estudos sobre o Matrimônio e Família.
Portanto, o que era “Estudo” agora se torna “Ciência”, pois, para Francisco, é importante prosseguir a intuição de João Paulo II, ampliando o raio de pesquisa sobre a família, seja no que diz respeito à sua dimensão pastoral e eclesial, seja no campo da cultura antropológica.
O Papa considera que a mudança antropológico-cultural da sociedade requer uma análise analítica e diversificada da questão familiar, que não se limite a práticas pastorais e missionárias que refletem formas e modelos do passado. “No límpido propósito de permanecer fiéis ao ensinamento de Cristo, devemos portanto olhar, com intelecto de amor e com sábio realismo, para a realidade da família hoje em toda a sua complexidade, nas suas luzes e sombras”, escreve o Pontífice.
O novo Instituto constituirá, no âmbito das instituições pontifícias, um centro acadêmico de referência, a serviço da missão da Igreja universal, no campo das ciências que dizem respeito ao matrimônio e à família e acerca dos temas relacionados com a fundamental aliança do homem e da mulher para o cuidado da geração e da criação.
O Instituto Teológico tem a faculdade de conferir “iure proprio” aos seus estudantes os seguintes graus acadêmicos: Doutorado, Licenciatura e Bacharelado em Ciências sobre o Matrimônio e a Família.

Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/09/19/papa_institui_ci%C3%AAncias_sobre_o_matrim%C3%B4nio_e_a_fam%C3%ADlia/1337628

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Matrimônio: ‘o amor de Cristo pela Igreja e pela Humanidade’

Grinaldas, vestidos, gravatas, ternos, alianças e um único desejo: selar o compromisso entre marido e mulher diante de Deus e dos homens. Foi com esse sentimento que 350 casais, junto a familiares e amigos, estiveram na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no centro da cidade, para a terceira edição do “Dia do Sim”, presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta, na tarde do dia 2 de setembro.
O casamento comunitário é realizado na Arquidiocese do Rio desde 2015, quando 192 casais uniram-se em matrimônio. Na segunda edição, em 2016, o número caiu para 28, uma vez que muitas paróquias, estimuladas pela celebração anterior, também promoveram as cerimônias em conjunto no decorrer do ano.
Como a arquidiocese vivencia, em 2017, o Ano da Família, foi pedido para que as paróquias encaminhassem os casais que desejavam participar do casamento comunitário para a Igreja Mãe, a Catedral. Dessa forma, os 350 casais oriundos dos mais diversos vicariatos e, até mesmo, de dioceses vizinhas puderam receber a bênção matrimonial e, juntos, ouviram a frase: “Eu vos declaro marido e mulher”.

Amor: o centro da vida conjugal e familiar
Na homilia, Dom Orani destacou que os casais são um sinal do amor de Deus para a sociedade. “Sintam-se motivados a viver, com muita alegria, a vida matrimonial e familiar. Diante de um momento em que muitos desvalorizam a família, vocês são um sinal do seio familiar e do matrimônio cristão, que passa a ser um prenúncio do amor de Cristo pela Igreja e pela Humanidade. Portanto, o casal também possui uma missão no mundo, a partir da fidelidade, do perdão e da reconciliação um com o outro”, comentou.
Dom Orani também afirmou que a celebração é uma resposta à sociedade que vivencia tantos problemas. “Hoje, damos uma resposta para a sociedade violenta, carente, repleta de vingança e ódio. Na vida de uma família, as pessoas que experimentam o amor de Deus e se aceitam, mutuamente, como marido e mulher, transmitem esse amor aos filhos, netos, e a graça de Deus os permite superar as dificuldades, construindo uma nova sociedade, sendo o amor o centro da vida conjugal e familiar”, argumentou.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Dom João Bosco: Família, dom de Deus, luz para a sociedade

A Semana Nacional da Família (SNF) teve início no último domingo, 13, Dia dos Pais. Uma escolha não ao acaso, visto que no mês de agosto a Igreja recorda a cada semana uma vocação.
“Trata-se de um momento de reflexão e ao mesmo tempo de testemunho e serviço dos cristãos para com a humanidade, “para desenvolver este senso da beleza da grandeza, da alegria que é ser família”, explicou o Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom João Bosco Barbosa de Sousa.
Em entrevista à Rádio Vaticano, o também Bispo de Osasco falou como “a família no Brasil é luz para a vida em sociedade”, justamente, o tema desta 26ª edição do encontro:
"Este tema da família como luz para a sociedade é muito preciso, porque primeiro é um tema bastante amplo, pois quando se fala de luz, o Evangelho e a Sagrada Escritura sempre menciona como a presença de Deus. Deus é luz e a presença de Deus ilumina o mundo!
Nós estamos vivendo num mundo sombrio e isso pela falta de Deus. Então, quando se fala em luz para a vida em sociedade, duas coisas: primeiro, mostra-se que a família é uma luz. Ela em si mesma ela é um dom de Deus. E a segunda coisa, ela não pode ser um dom só para a Igreja ou só para as pessoas que participam da família. Ela é uma luz para a sociedade, ou seja, a família deve se tornar uma família em saída, como pede o Papa Francisco, e ser uma família missionária no mundo. Quer dizer, pelo fato de ser família, ela ilumina o mundo.
Este tema tem produzido para nós muita profundidade na caminhada das famílias, na pastoral familiar, sobretudo com o grande impulso que o Papa Francisco tem dado à família e ao tema da vida familiar”.
Dom João Bosco também nos falou sobre como está se desenvolvendo em todo o país este momento de reflexão e evangelização
"Esta semana é um tempo forte de evangelização, é um tempo em que a família se torna o tema central de toda a evangelização da Igreja, que produzem celebrações, palestras, movimentação nas escolas, nas ruas, nos grupos da pastoral familiar, organizam diversas formas de atuação não só dentro da Igreja, mas também na sociedade.
Nós temos uma publicação chamada "Hora da Família" que tem uma grande penetração nos meios da Pastoral Familiar que traz uma reflexão para cada dia, um tema para cada dia, desenvolvendo o tema central. Isso dá uma grande unidade num país tão grande como o nosso, o Brasil, de ponta à ponta, do sul até o norte, do leste ao oeste, o mesmo tema sendo refletido, sendo aprofundado nas celebrações e na vida cotidiana das comunidades e das paróquias. Isso tem sido cada ano uma riqueza muito grande. Já somos jubilados em prata com este programa de evangelização a cada ano". 

http://br.radiovaticana.va/news/2017/08/17/fam%C3%ADlia,_dom_de_deus,_luz_para_a_sociedade/1331181

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Formação sobre Matrimônio Católico

Você quer preparar-se para a vocação matrimonial, fortalecer o seu matrimônio e reconstruir sua família católica, para assim viver a santidade e o sonho de Deus?
Sonhamos com Famílias Santas!

21 a 27 de Agosto 2017
1º Jornada Online sobre Matrimônio Católico


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

O protagonismo da família na educação

O seminário “Base Nacional Curricular Comum e protagonismo da família na educação” foi realizado no auditório do Edifício João Paulo II, na Glória, no dia 26 de julho. O evento contou com a presença do Cardeal Orani João Tempesta, do bispo auxiliar da arquidiocese e animador da Pastoral da Educação e do Ensino Religioso, Dom Paulo Alves Romão, e do bispo auxiliar emérito Dom Karl Joseph Romer, Membro do Pontifício Conselho para a Família e Diretor do Instituto Superior de Ciências Religiosas.
Além deles, o Encontro também contou com a presença do presidente da Rede Nacional de Direito e Defesa da Família, diretor do Instituto Sophia Perennis e presidente do Observatório Interamericano de Biopolítica, professor Felipe Nery, da docente em História da Universidade Estadual de Londrina (UEL), professora Fernanda Takitani, e da docente em Letras, professora da Rede Pública do Estado de São Paulo e secretária do Observatório Interamericano de Biopolítica, professora Andreia Medrado.
O cardeal iniciou as atividades do Encontro, afirmando que “neste momento tão importante da nossa pátria e da educação, tenhamos as luzes necessárias para realizar a nossa missão de cristãos. Devemos nos movimentar, enquanto famílias cristãs, e assumir o nosso protagonismo, a nossa responsabilidade pela educação em nosso país", destacou, prosseguindo com a Oração de Invocação do Espírito Santo.

Família: primazia e protagonismo na educação dos filhos
Ainda na saudação, Dom Orani recordou que, há quatro anos, na mesma data, o Papa Francisco visitou o Rio de Janeiro, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude. Tendo em vista que o dia 26 de agosto é dedicado aos santos São Joaquim e Sant’Ana – co-padroeira da arquidiocese, o arcebispo recordou o discurso do Pontífice, no qual ressaltava a experiência dos avós na transmissão da experiência às gerações.
O cardeal ressaltou como nos dias atuais as ideologias vêm sendo impostas em detrimento do direito da família e dos educadores. “Pouco a pouco nós vemos a influência que tem chegado ao nosso país, por meio de uma educação conduzida por ideologias, fazendo com que certos valores sejam comunicados, difundidos para a sociedade, como se fossem uma verdade e fazendo disso uma cultura comum, na maneira de pensar e de ser. E vemos também que, quando as coisas são colocadas às claras, as pessoas já não mais concordam com esses posicionamentos”, pontuou.
Ele ainda destacou a importância do evento: “Este seminário é, portanto, uma oportunidade de continuarmos esse debate, de refletirmos a respeito, para que as pessoas se interessem cada vez mais por essa temática", disse.
Para o arcebispo, a Igreja e as famílias cristãs devem, cada vez mais, estar envolvidas nessa discussão, sendo protagonistas de tudo aquilo que for para o bem dos filhos, para o bem da sociedade brasileira: "Que saibam recolocar a família nas escolas; que o nosso protagonismo seja cada vez mais sentido, e a opinião das famílias cristãs se faça ouvir na orientação educacional dos seus filhos e netos", completou.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Lutou para que não aplicassem eutanásia a sua esposa e hoje são pais de uma menina

            Alexander Way decidiu não dar a permissão para que desconectassem o suporte vital de sua esposa, que tinha ficado em coma devido a uma grave doença, e 6 anos mais tarde ela teve uma recuperação impressionante que lhe permitiu ficar grávida e ser mãe de uma menina.
            Beatrice, hoje com 42 anos e de nacionalidade inglesa, sofreu um acidente vascular cerebral e um ataque do coração em 2011 devido a um problema cardíaco chamado cardiomiopatia hipertrófica congênita.
            Um neurocirurgião extraiu 40% de seu crânio em um procedimento de emergência depois de uma apoplexia que fez com que seu cérebro inflamasse.
            Entretanto, Alexander relatou que teve que passar por momentos difíceis, nos quais ficou “atordoado e enojado” e sentiu que estavam terminando com a vida de sua esposa “sem considerar o tratamento adicional”.
            “Eu estava convencido de que era possível fazer mais. Entretanto, os médicos insistiram que Beatrice tinha muito pouca resposta cerebral e que não havia como pudesse melhorar. Se ela acordasse totalmente, ela mal responderia aos outros. Também ficaria cega. Muitas palavras foram trocadas. Em termos inequívocos lhes disse: ‘Não desligue o suporte vital de minha esposa!’”, acrescentou.
            Os médicos ignoraram seus protestos e Beatrice foi transferida a uma unidade de neurocirurgia para ser  tratada por cirurgiões especializados em cérebro. Porém, dois dias depois, entrou em coma.
            Alexander, de 44 anos, ficou em choque quando os médicos lhe pediram que aceitasse a eutanásia para sua esposa por causa da complicação da doença. “O pedido foi seguido por um apelo para considerar a doação de seus órgãos”, recordou.
            Seu esposo se negou e os médicos aceitaram realizar uma cirurgia que teve êxito. Beatrice, depois de se recuperar, assegurou que estava “muito grata a Alexander por desafiar os médicos que pensavam que sua vida tinha terminado”. “Ele salvou minha vida”, expressou.
            “Mostrei todos os sinais de um derrame cerebral e ele me sustentou e me consolou até que chegaram os paramédicos da ambulância e me levaram ao hospital”, continuou.
Em declarações a ‘The Daily Mirror’, Alexander afirmou: “Não tenho nenhuma dúvida de que a oração nos manteve em nossos dias mais escuros. Foi tão importante para nós ao longo de tudo. Sou verdadeiramente abençoado por ter Beatrice e Rosemary. Devemos o milagre da sobrevivência a Deus. Rosemary é, para nós, um testemunho vivo do poder da oração”.
            Após se recuperar, Beatrice deu à luz sua pequena filha Rosemary em junho de 2016, apesar de vários médicos  terem sido contra a gravidez. Alexander recordou o momento em que os médicos do Hospital Princess Alexandra em Harlow (Inglaterra) lhe disseram que pensavam que Beatrice não conseguiria.
            A história de Alexander e Beatrice Way se tornou conhecida depois que a esposa escreveu e enviou uma foto de sua bebê ao neurocirurgião que cuidou dela e salvou sua vida, Ian Hu Liang Low.
            “Vai se tornar uma bebê bonita e saudável. Cada dia é uma recordação da sorte que temos”, concluiu.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/lutou-para-que-nao-aplicassem-eutanasia-a-sua-esposa-e-hoje-sao-pais-de-uma-menina-81018/

segunda-feira, 31 de julho de 2017

A oração do Papa ao pequeno Charlie

“Confio ao Pai o pequeno Charlie e rezo pelos seus pais e as pessoas que o amaram”: assim se manifestou o Papa Francisco no Twitter após o anúncio da morte do bebê inglês de 11 meses.
Os pais, Connie Yates e Chris Gard, comunicaram o falecimento com essas palavras: “O nosso esplêndido menino se foi. Estamos realmente orgulhosos de Charlie”.
A criança morreu após a interrupção da respiração artificial numa clínica de cuidados paliativos, para onde foi transferido por decisão do Tribunal. Já na segunda-feira, o Papa manifestou a sua solidariedade aos pais de Charlie Gard neste “momento de imenso sofrimento”. Os pais renunciaram ao seu pedido de levar a criança para os EUA e lamentam o tempo perdido em batalhas judiciais.

Os católicos ingleses
Por sua vez, o Presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e de Gales, Card. Vincent Nichols, Arcebispo de Westminster, declarou-se profundamente entristecido pela morte de Charlie Gard e manifesta a solidariedade de toda a comunidade católica aos pais. O Card. Nichols também agradeceu aos funcionários do Hospital "Great Ormond Street", que cuidou do bebê até a sua transferência, destacando o profissionalismo e a dedicação de médicos e enfermeiros.

Deus não desliga os aparelhos
Oração e solidariedade também foram expressos pelo Presidente da Pontifícia Academia para a Vida, Dom Vincenzo Paglia. O Arcebispo recordou a grandeza do Amor de Deus que não pode ser desligada de aparelhos. Este caso, acrescentou Dom Paglia, nos impulsiona a "promover uma cultura do acompanhamento" e a "dizer três grandes nãos: à eutanásia, ao abandono e ao excesso terapêutico a favor de grandes sins: ao acompanhamento, ao progresso da ciência e à terapia da dor".  

Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/07/29/a_ora%C3%A7%C3%A3o_do_papa_ao_pequeno_charlie/1327685

terça-feira, 25 de julho de 2017

5 dicas dos pais de Santa Terezinha de Lisieux para criar bons filhos

Sim, eles foram santos e criaram santos, mas as suas técnicas eram incrivelmente simples, práticas e imitáveis

Seus filhos são difíceis de disciplinar? Eles copiam todos os seus maus hábitos? Você se preocupa com as suas birras e caprichos?
Bom, você não está só. São Louis e Santa Zelie Martin, pais de Santa Terezinha de Lisieux, enfrentaram essas mesmas lutas e precisaram discernir o que fazer.
Sim, é verdade, eles eram pais santos de filhos santos, mas exercer a paternidade e a maternidade também foi desafiador para eles, que nem sempre sabiam as respostas mais claras. O que eles fizeram foi perseverar e lutar para atender às necessidades dos filhos num ambiente familiar de grande amor.

Aqui vão cinco dicas úteis inspiradas nesses pais santos:
1 – Reconheça desde o início que cada filho é de Deus e dedique-o a Ele
Zelie tinha o costume de, imediatamente após o nascimento de cada filho, dedicá-lo a Deus com a seguinte oração:

“Senhor, concedei-me a graça de que esta criança seja consagrada a Vós e que nada possa manchar a pureza de sua alma”.
Os frutos dessa dedicação a Deus não eram imediatamente visíveis, é claro, mas ela revela o estilo intencional da sua maternidade. Ela queria que os seus filhos fossem santos aos olhos de Deus e sabia que “agora mesmo” é o melhor momento para começar a viver em santidade – e não “mais tarde”.

2 – Ame seus filhos com carinho superabundante
É fácil esquecer o quanto nossos filhos precisam de amor – de muito amor. Louis e Zelie amavam seus filhos com imenso carinho e se certificavam de que eles soubessem desse grande amor. Celine Martin, uma das filhas, escreveu sobre seu pai:

“Mesmo sendo duro consigo mesmo, ele sempre foi afetuoso conosco. Seu coração era excepcionalmente tenro para conosco. Ele viveu só para nós. Nenhum coração de mãe poderia superar o dele”.
Louis demonstrava afeto inclusive em gestos pequenos e aparentemente insignificantes, como apelidar as crianças com elogios: Marie era “o diamante”; Pauline, “a pérola fina”; Celine, “a intrépida”; Léonie, “o bom coração”; e Thérèse, ou Santa Terezinha, era “a pequena rainha” ou “o buquê de flores”.

3 – Não desista quando o seu filho é difícil
Zelie tranquilizou seu irmão em uma carta recomendando não se preocupar se um dos filhos pequenos fosse “difícil de administrar”.
O temperamento desafiador de uma criança não a impedirá de se tornar excelente mais tarde e de vir a ser o maior amparo dos pais. Pauline, conforme a mãe recordava, exigiu muita paciência dos pais até os dois anos de idade, mas se tornou a filha mais exemplar. Zelie observa, porém, que não a “estragou com mimos”: por menorzinha que ela fosse, seus caprichos raramente eram atendidos.
E Pauline não foi a única filha da família Martin a criar estresse para os pais. Terezinha e a irmã Léonie também foram fonte de grandes angústias para Zelie. Ela e Louis, no entanto, não desistiram sequer quando seus esforços pareciam infrutíferos.

4 – Seja exemplo de caridade para seus filhos
Nossos filhos são influenciados e tendem a imitar cada um dos nossos movimentos, tanto para o bem quanto para o mal. Louis e Zelie fizeram tudo o que podiam para dar o exemplo de como tratar bem as pessoas. Celine testemunhou em seus escritos o quanto o pai era paciente com os outros, mesmo sendo duro consigo mesmo.

5 – Brinque com seus filhos
Hoje em dia é muito fácil e tentador sentar seu filho diante de uma tela e quase nunca brincar com ele. Mas, muitas e muitas vezes, o que os nossos filhos precisam mesmo é da nossa atenção, inclusive para brincar. Celine escreveu sobre sua mãe:

“Ela brincava conosco de bom grado, apesar do risco de ter de prolongar seus trabalhos até a meia-noite ou mais tarde ainda”.
Louis também se juntava às brincadeiras e muitas vezes produzia pequenos brinquedos para as crianças, além de inventar atividades e cantar junto com elas.

Fonte: https://pt.aleteia.org/2017/07/20/5-dicas-dos-pais-de-santa-terezinha-de-lisieux-para-criar-bons-filhos/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

terça-feira, 27 de junho de 2017

5 virtudes de São José que todo homem pode imitar

É importante termos espelhos que nos levam a contemplar a vontade de Deus

As virtudes e a masculinidade têm uma relação profunda, uma se desenvolve com o progresso da outra, e para a nossa formação como homem e mulher e o relacionamento entre ambos, é importante termos espelhos que nos levam a contemplar a vontade de Deus se realizando ainda nessa terra, tanto para o homem como para a mulher. Claro que para isso temos os santos e, dentre eles, aquele que foi escolhido para ser o protetor do Senhor, São José um exemplo de virtudes:
Virtude é prática do bem exercida livremente. 
Primeiro
bondade de São José fez com que ele fugisse da cidade na tentativa de proteger Maria e o bebê, pois, ao fugir dava indicio de culpa protegendo Maria de ser apedrejada.
Segundo
Fé e Prudência. Sabendo que fez a coisa certa, “sempre andar na vontade de Deus” isso é a , São José dorme e é em sonho que o anjo fala com ele, ou seja, um homem justo e de fé, que faz o que precisa ser feito.
E por fim a prudência, é a capacidade de escolher bem, decidir pelo bem em qualquer circunstância. Isso ele fez indo embora para proteger Maria e depois voltando para Ela pela orientação do anjo.
Terceiro
Justo. Esse atributo é bem importante na Bíblia, “Deus escuta a voz do justo”. O justo é aquele que dá a Deus o que devido, portanto, aquele que cumpre os preceitos e a vontade de Deus. Como vimos aqui isso é uma das bases da masculinidade segundo o coração de Deus.
Quarto 
Fortaleza. É a capacidade de manter-se firme nas dificuldades e ter constância na prática do bem. Isso podemos ver quando ele se vê com Maria prestes a dar a luz sem nenhum teto sobre a cabeça ou quando Ela recebe uma profecia no templo e ele não recebe nenhuma,,, ou seja, Ela e Jesus iriam sofrer e ele não estaria lá.
Existe um santo que diz que São José amava tanto Jesus que Deus Pai o levou antes para que pudesse ser feito o sacrifício do Senhor, pois São José se colocaria na frente para O proteger, tamanho o zelo e amor que tinha por Aquele que sabia ser Deus feito homem.
Quinto
Caridade, que é amar a Deus e ao próximo. São José doou toda a sua vida para proteger Jesus e Maria.
Fonte: https://pt.aleteia.org/2017/06/22/5-virtudes-de-sao-jose-que-todo-homem-pode-imitar/

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Católicos e evangélicos se unem em seminário contra a ideologia de gênero

Com o título "Gênero: aspectos educacionais, históricos e jurídicos", o seminário acontece no dia 12 desse mês, no auditório da Escola Judicial do TRT - 1ª Região, com duração de seis horas e entrada livre. O objetivo é discutir conceitos e as consequências da ideologia de gênero na sociedade, além de oferecer  atividades acadêmicas para estudantes e carga horária de 6h para estágio forense.
O evento é de suma importância, visto que o tema "ideologia de gênero" tem sido debatido com frequência no Brasil, após tentativas indiscriminadas da grande mídia de promover uma concepção distorcida sobre o assunto.
Entre os participantes, como o professor Felipe Nery, da Universidade Católica S. Toribio de Mogroveja, no Perú, o juiz de direito Daniel Serpentino e o Psiquiatra Italo Marsili, estará presente também a psicóloga, especialista em saúde mental e direitos humanos, Marisa Lobo, autora do livro "A Ideologia de Gênero na Educação", considerada uma das maiores ativistas contra a promoção da ideologia de gênero no Brasil.
Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5833/catolicos-e-evangelicos-se-unem-em-seminario-contra-a-ideologia-de-genero

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Catequese e Família


video

Curso de Paternidade e Maternidade Responsáveis


Curso voltado para casais descobrirem a beleza do plano divino para o amor humano pelo planejamento natural da família. 
Colaboração de apenas R$ 10,00 para as refeições do dia. Formação dada pelos casais Tatiana e Ronaldo de Melo, da Pastoral Familiar, e Luiz e Luciana Ribeiro, do Instituto Pró-Família. 
Conheçam as bases morais e médicas para a regulação inteligente dos nascimentos e o verdadeiro respeito à fertilidade humana. 
Inscrições até 01 de junho pelo formulário virtual: https://goo.gl/forms/qBASzYiW6w89CgOP2. 
Maiores informações pelo e-mail: pasfam.pnsd@gmail.com. 
Compareçam e ajudem na divulgação!

sexta-feira, 26 de maio de 2017

7º Simpósio Nacional das Famílias em Aparecida terá transmissão ao vivo pelo Youtube

A Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reunirá membros da Pastoral Familiar de todas as partes do Brasil para a 9ª Peregrinação e o 7º Simpósio Nacional da Família em Aparecida (SP), nos dias 27 e 28 de maio.

O Simpósio que acontece no dia 27 de maio, a partir das 8h no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida nas dependências do Santuário Nacional, terá transmissão ao vivo pelo canal do Portal A12 no Youtube (youtube.com/canalportala12) durante toda a programação.
A programação do Simpósio contará com conferências de assuntos relacionados a vida familiar.
A doutora Maria Inês de Castro Millen, médica, mestre em Ciência da Religião e doutora em Teologia, apresentará a partir da visão da mulher, a Exortação Apostólica pós-sinodal do papa Francisco “Amoris Laetitia – sobre o amor na família”.
A conferência sobre o tema e lema do Simpósio e da Peregrinação, “Família: uma luz para vida em sociedade” - “Vós sois a Luz do Mundo” (Mt 5, 14) será conduzida pelo bispo de Osasco (SP) e referencial para a família, Dom João Bosco Barbosa de Sousa.
O assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, padre Antônio Ramos do Prado, falará sobre o acompanhamento de adolescentes e jovens na família à luz do capítulo VII da exortação Amoris Laetitia.
O casal de membros da Pastoral Familiar e ex-coordenadores do Instituto Nacional da Família e da Pastoral Familiar (Inapaf), João Bosco Lugnanie Aparecida Eunides Lugnani apresentarão o projeto que desenvolvem no YouTube “Vida, família e fé, em testemunhos”.
Durante a programação do Simpósio ainda haverá apresentação de experiência de uma equipe de Regional da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF).
As conferências do Simpósio acontecem das 8h às 15h e todas serão transmitidas ao vivo pelo Portal A12.

Fonte: http://www.a12.com/noticias/detalhes/7o-simposio-das-familias-em-aparecida-tera-transmissao-ao-vivo-pelo-youtube

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Emmanuel, o recém-nascido abandonado no lixo e salvo pela Madre Teresa


O seminarista francês Emmanuel Leclercq é autor, entre vários outros livros, de “Méditer avec Mère Teresa” (“Meditar com a Madre Teresa”). Doutor em filosofia moral, ele esteve em Roma neste fim de semana para a canonização da Madre Teresa de Calcutá e deu uma entrevista à rádio francesa RTL, na qual narrou a sua história singular.
Emmanuel contou que nasceu em 9 de setembro de 1982 na favela Amravaki, de Bombaim, e, dez dias depois, foi abandonado pela mãe em uma lata de lixo em frente a um orfanato da congregação das Missionárias da Caridade.
Quis a Providência que, naquele mesmo dia, a própria Madre Teresa fosse visitar o local e encontrasse a criança, imediatamente levada para dentro daquela que Emmanuel considera a sua primeira casa de verdade.
Eu devo tudo à Madre Teresa. Devo a ela o meu nascimento, devo a ela, por completo, toda a minha vida“, disse o seminarista. Se não fosse por ela, acrescentou, “eu não estaria aqui na Praça de São Pedro para agradecer ao Senhor e rezar“.
Depois algum tempo aos cuidados das missionárias, Emmanuel teve a graça de ser adotado. Seus novos pais eram um casal francês e seus novos quatro irmãos eram um indiano, um haitiano e dois franceses. “Uma comunidade de amor“, resume ele.
Emmanuel voltou à Índia, faz algum tempo, a fim de visitar a casa que o acolheu logo que fora abandonado. Ele trabalhou com as Missionárias da Caridade e conheceu uma freira, já idosa, que tinha sido testemunha do seu “nascimento” naquela casa. Por meio dela, recorda Emmanuel, ele veio a conhecer melhor a própria história.
Hoje doutor e seminarista da diocese de Avignon, Emmanuel Leclercq fez da fé o motivo central da sua vida.
“Na palavra ‘abandonner’ está a palavra ‘donner’“, observa ele, em referência aos termos franceses para “abandonar” e “doar”. E continua, demonstrando compreensão e misericórdia para com sua mãe biológica, que se viu forçada pela miséria a abandoná-lo diante do orfanato das missionárias:
A minha mãe me abandonou para me doar a vida, e me doou a vida de uma forma extraordinária, porque foi a Madre Teresa que me tornou digno dessa vida“, concluiu Emmanuel, depois de acrescentar ainda a sua admiração e reverência por outro santo que viveu a mesma época da agora Santa Teresa de Calcutá e que foi um grande amigo dela: São João Paulo II.
Fonte: https://pt.aleteia.org/2016/09/08/emmanuel-o-recem-nascido-abandonado-no-lixo-e-salvo-pela-madre-teresa/

sexta-feira, 19 de maio de 2017

"Família restaurada, sociedade estruturada"


A Pastoral Familiar da Arquidiocese do Rio de Janeiro promoverá no próximo sábado, dia 20 de maio, das 8h às 12h, a 'Formação para as Famílias'. O encontro, que terá como tema "Família restaurada, sociedade estruturada", contará com a participação e condução do bispo auxiliar da arquidiocese e animador da Pastoral Familiar, Dom Antonio Augusto Dias Duarte.
A formação será realizada no Auditório do 2° andar do Edifício João Paulo II, localizado na Rua Benjamin Constant, 23, na Glória. Mais informações pelo telefone (21) 2292-3132 ramal 402.
Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5758/familia-restaurada-sociedade-estruturada

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Onde foi que eu errei?


Educar os filhos na Fé Católica - Aula ao Vivo 2


Educar os filhos na Fé Católica - Aula ao Vivo 1


Como vai a catequese de seu filho? - Módulo 3 - Aula 2


Como vai a catequese de seu filho? - Módulo 3 - Aula 1


Desautorizar o cônjuge é minar o futuro do filho - Módulo 3


Amizades de nossos filhos - Módulo 3 - Aula 3


Amizades de nossos filhos - Módulo 3 - Aula 2


Amizades de nossos filhos - Módulo 3 - Aula 1


Como sermos bons pais? - Módulo 3 - Aula 2


Como sermos bons pais? - Módulo 3 - Aula 1


Ensinar os Filhos a Rezar - Módulo 2 - Aula 2


Ensinar os Filhos a Rezar - Módulo 2 - Aula 1


Curso Educar os Filhos na Fé Católica - Módulo 1 - Aula 4


Curso Educar os Filhos na Fé Católica - Módulo 1 - Aula 3


Curso Educar os Filhos na Fé Católica - Módulo 1 - Aula 2


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Marcha pela vida: Rio unido contra o aborto


Aconteceu no dia 7 de maio, na orla da Praia de Copacabana, a quinta edição “Marcha da Cidadania pela Vida”. Organizada pelo Movimento da Cidadania pela Vida - Brasil sem Aborto do Estado do Rio de Janeiro, a marcha reuniu centenas de pessoas, incluindo membros da arquidiocese e demais representantes religiosos em defesa do nascituro.
O arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, esteve presente na abertura oficial do evento e falou ao público sobre a importância de manifestar pelo valor da vida. “Num momento de tanta violência e descrédito das autoridades, estamos aqui, todos juntos, pedindo respeito à vida. A ciência já sabe que a vida humana começa na concepção e vai até a morte natural e, por isto, merece ser dignificada em todos seus momentos. Queremos pedir que as mães gestantes sejam respeitadas e bem assistidas para que possam ver a beleza do que é gerar um filho. Que Deus abençoe este trabalho e esta missão”, disse. 
A marcha foi aberta com apresentações de teatro e dança, e seguiu em direção ao Leme com placas e cartazes pedindo respeito à vida. Houve coleta de assinaturas para serem encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF). 
O comando da caminhada ficou por conta da cantora católica e coordenadora geral do Comitê Estadual do Movimento Cidadania pela Vida, Zezé Luz, que frisou sobre a importância do respeito à lei. “Uma cultura de morte está sendo implementada, e nós não queremos o aborto no nosso país. Queremos verdadeiramente dar voz e vez às crianças. Nos alegramos por cerca de 87% da população brasileira ser ainda terminantemente contra o aborto, e pedimos aqui que o STF não aprove o aborto de bebês com microcefalia, pois precisamos que a vida prevaleça”, falou.
Estiveram presentes também representantes dos movimentos evangélico e espírita do Estado do Rio.
A coordenadora do movimento evangélico “Deixai vir os pequeninos”, Viviane Picorelli, partilhou uma experiência própria com o público, e deixou um recado para as mulheres: “Estou aqui para dizer a todas que é possível ser mãe mesmo na adolescência, e que um aborto pode trazer consequências terríveis para a vida”.
O médico pediatra e diretor de Relações Externas do Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro, Adriano Almeida, e a coordenadora das Relações Institucionais do Movimento da Estadual da Cidadania pela Vida, Jane Chantre, deixaram o apoio dos espíritas à marcha. “Acreditamos que é um crime interromper a vida dentro do útero. Legalizar o aborto é legalizar o homicídio em qualquer época da vida. É uma questão de lógica, não só de religião”, disse Adriano.
Jane Chantre reforçou que a vida é o primeiro direito do homem e da mulher: “A população precisa ver que todo ser humano tem direito de viver, e precisamos mostrar isto agora, antes que outros façam diferente. Não podemos deixar que o aborto seja legalizado neste país”, falou.

A ex-feminista, escritora e palestrante Sara Winter, de 24 anos, também esteve no evento. Sara largou o movimento radical e hoje se dedica à Igreja e a contar como uma vida insegura levou-a a cometer erros. “Eu apoiava o aborto disfarçado de direitos igualitários. Com a ajuda de amigas, fiz um aborto clandestino e me arrependi muito. Tive sequelas disto, e sei como é. O único que me ajudou neste momento foi um amigo cristão católico, por isto hoje tento explicar para as meninas que este não é o melhor caminho”, contou.
Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5721/marcha-pela-vida-rio-unido-contra-o-aborto

quinta-feira, 27 de abril de 2017

5 Bons Hábitos De Pais Católicos

1- Ensinam os filhos a pedir-lhes a benção!

Os pais devem ser a imagem mais próxima de Deus que os filhos conhecem. Pedir a benção aos pais é reconhecer neles a presença de Deus e provar de sua autoridade.

Ao abençoar nossos filhos estamos honrando o nome de Deus que é Pai, e cumprindo a missão que nos foi confiada. A benção além de provocar a inteligência dos filhos, os ajuda a ter uma relação mais profunda com Deus e os lembram que estão sobre a proteção divina.

" Traziam-lhe crianças para que as tocasse, mas os discípulos as repreendiam. Vendo isso, Jesus ficou indignado e disse: "Deixai as crianças virem a mim. Não as impeçais, pois delas é o Reino de Deus. Em verdade vos digo: aquele que não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele". Então, abraçando-as, abençoou-as, impondo as mãos sobre elas." 
(Mc 10, 13-16)


2- Instruem os filhos a orar ao deitar e acordar. 

Uma criança órfã é aquela que não conhece seus pais, seja por abandono ou por morte. Quando não ensinamos as crianças a orar, elas serão como órfãs de pais vivos: Eu sei que tenho pais, mas não os conheço! Sei que Deus existe, mas não o conheço. A oração é o diálogo com Deus Pai e, é tarefa dos pais criar nos filhos este hábito, não apenas por temor de Deus, mas sobretudo por Amor.  Sem diálogo não há intimidade. Os filhos devem testemunhar a intimidade de seus pais com Deus e imitá-los como verdadeiros adoradores.


"Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás o Senhor teu deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tias forças. E trarás gravadas em teu coração todas estas lavras que hoje te ordeno. Tu a repetirás com insistência aos teus filhos e delas falarás quanto estiverdes sentado em tua casa, ou andando pelos caminhos, quando te deitares, ou te levantares."

( Dt 6,4-7)


3- Dão Graças antes das refeições e em todas as situações 

Agradecer a Deus e bendizê-los sobres os alimentos em nossa mesa é reconhecer o amor de Deus em todas as coisas. É ao redor da mesa que as duas grandes alianças de Deus estão firmadas: A antiga, ao redor da mesa dos Hebreus quando da libertação da escravidão do Egito. E a nova e eterna aliança, ao redor da Mesa da Eucaristia. Aberakah é um louvor de ação de graças, uma expressão de amor que sobe a Deus.

"Mandou que a multidão sentasse pelo chão e, tomando os sete pães, deu graças, parti-os e deu-os aos seus discípulos para que distribuíssem. E eles distribuíram à multidão."
(Mc 8, 6)

Obs: Em nossa casa costumamos dar graças antes das refeições com estas breves palavras:
Bendito e louvado sejas Senhor, no Santíssimo Sacramento! O céu nos dê a Glória e a terra o alimento!


4- Incentivam a frequência da confissão

É dever dos pais instruir e ensinar limites aos filhos. A boa advertência dos pais aos filhos prepara-os para a vida, por isso é importante lhes ensinar que o mal comportamento além de ofender as pessoas, pode nos colocar em situações de perigo. Não basta pedir desculpas ou reparar o dano, é necessário também reconhecer que nossas más atitudes nos afastam da presença de Deus. Incentivar os filhos a prática da confissão, quando estes já tiverem a experiência da Primeira Eucaristia, é dar-lhes as ferramentas necessárias para uma vida honesta e equilibrada.

"Enquanto Esdras fazia essa confissão e essa oração prostado diante do Templo de Deus e chorando, uma imensa assembleia de Israel, homens, mulheres e crianças, reuniu-se em torno dele, e o povo chorava copiosamente."
(Esd 10, 1)


5- Oram juntos 

É raro mães que não oram por seus filhos, mas  é dever do casal orar pelos filhos: Pai e mãe. O fato é que o casal se tornou uma só carne através do sacramento do matrimônio e quando a oração não passa pelo dois, ela não produz os efeitos necessários sobre os filhos que são frutos desta união. Ainda que cada um, de acordo com sua capacidade, faça suas orações pessoais, o casal deve buscar o hábito de orar juntos e em voz alta para que ambos confirmem a palavra do outro. Esta prática une ainda mais homem e mulher, propiciando o diálogo e a direção de seus projetos pessoais e familiares.

" Então Tobias levantou-se do leito e disse a Sara: "Levanta-te, minha irmã! Oremos e peçamos a nosso Senhor que tenha compaixão de nós e nos salve."
(Tb 8, 4b)

Fonte: http://coracaodecatequista.blogspot.com.br/2017/04/5-bons-habitos-de-pais-catolicos.html