Participe!

Participe!

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Por que ser batizado enquanto criança?




Por Jéssica Marçal

'Desde cedo devemos desejar que toda a riqueza da graça e das bênçãos divinas habitem na vida de cada filho ou filha', destacou padre Sérgio.

Livrar o ser humano do pecado original e torná-lo imerso no nome de Deus. Na fé católica, essas duas etapas tão importantes são concretizadas com o sacramento do Batismo, que comumente é realizado logo nos primeiros meses de vida. Muitas pessoas, porém, ainda se perguntam se o mais certo não seria o batismo na fase adulta, uma vez que assim haveria liberdade de escolha. 

Na abertura da Conferência Pastoral Eclesial da Diocese de Roma, na Itália, deste ano, o Papa Bento XVI falou sobre a importância do Batismo e o reafirmou enquanto uma necessidade para o ser humano. Ele enfatizou que ser batizado não é uma escolha como outra qualquer, da mesma forma que não é possível escolher nascer ou não neste mundo.

Em entrevista ao noticias.cancaonova.com, o administrador da Diocese de Tubarão (SC), padre Sérgio Jeremias de Souza, esclareceu algumas das reflexões do Papa sobre o sacramento. Em relação à liberdade de escolha, o padre recordou que Deus não fere a liberdade do ser humano, muito pelo contrário.  “Ele a alarga (a liberdade) e dá a verdadeira dimensão de vida plena. Ele não nos tira nada, mas nos dá tudo, sobretudo a participação em seu ser divino”. 

terça-feira, 26 de junho de 2012

O Gênio Feminino



Por Dom Antonio Augusto Dias Duarte
Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro

A família, a grande família humana e cada uma das famílias que compõem a humanidade, é o grande projeto de Deus para que o homem e a mulher tenham um sentido nobre e prático para suas vidas.

Ambos, segundo o modo de ser que lhes é próprio, o gênio feminino e o gênio masculino, colaboram na sustentabilidade e no desenvolvimento da sociedade humana, que dentro desse projeto divino é condição necessária e fundamental para que os povos vivam em paz, na justiça e na igualdade de direitos e deveres.

Considerando a mulher, vê-se que ela está cada vez mais presente na vida social, levando para além dos limites do ambiente familiar a sua valiosa contribuição como pessoa que é, e sempre com suas peculiares e profundas riquezas femininas.

Tanto a família como o mundo necessitam de uma mulher real e autenticamente emancipada, respeitada, madura e competente na profissão, reconhecida no seu papel público e domiciliar, para que ela possa injetar no ambiente político, cultural, educacional, etc., uma qualidade específica do seu gênio feminino.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

A luta do século




Por Dom Antônio Augusto Dias Duarte 
Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro

Jesus Cristo profetizou que, ao longo dos séculos, haveria que tomar cuidado com os doutores da lei (cf. Mc 12, 38), e a razão dessa sua prevenção é que os “falsos doutores” têm um gosto especial pelas primeiras cadeiras, pelos melhores lugares, pelo uso de roupas vistosas e pelos cumprimentos de setores públicos bem concretos.


O que era uma realidade social e religiosa há mais de 20 séculos – a presença de mestres da maldade – existe em alguns profissionais do mundo jurídico, médico e acadêmico da pós-modernidade. Dentro desse mundo circulam alguns “doutores da lei” que gostam de um destaque midiático, que se cobrem com as roupas vistosas do politicamente correto, que sonham com a popularidade junto a algumas minorias ideológicas, especialmente quando tratam de questões relativas à vida humana, à família fundada sobre o matrimônio entre o homem e a mulher, à sexualidade humana, aos direitos do nascituro e dos enfermos incuráveis. De uma forma singular, gostam de atacar a religião católica e a sua missão defensiva dos verdadeiros Direitos Humanos, além da sua ação positiva a favor de todos os homens e de uma cultura realmente humanitária.


Quem ainda duvida que os Direitos Humanos somente são merecedores desse título quando aplicáveis a todas as pessoas sem distinções, em quaisquer idade e circunstâncias? Quem se julga tão soberano e tão poderoso que não tenha que prestar contas a Deus, à história da humanidade e, sobretudo, não tenha que se responsabilizar pelo bem comum acima de todos os interesses particulares de grupos financeiros, políticos e ideológicos?

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Missa reúne 1 milhão de pessoas no encerramento do 7º Encontro Mundial das Famílias



No último sábado, 2 de junho, foi organizado, no moderno estádio de futebol San Siro, sede de duas importantes equipes da Itália, Milan e Inter de Milão, um grande encontro com aproximadamente 80 mil crismandos. O papa Bento XVI os convidou à perseverança.

No mesmo dia, à noite, aproximadamente 400 mil pessoas se dirigiram pelas ruas de Milão, a pé ou em alguns meios de transporte, para o aeroporto de Bresso, onde houve a Festa dos Testemunhos. Um palco montado para a ocasião, equipado com a tecnologia de TVs locais, animado com a presença de músicos e artistas, foi o local onde Bento XVI se encontrou com alguns casais, de várias partes do mundo, inclusive do Brasil.

No domingo, 3, como era anunciado pelos jornais e pelas autoridades publicas, um milhão de pessoas participou da missa com o papa. A missa de encerramento do 7º Encontro Mundial das Famílias começou as 10h e terminou ao 12h. Como sempre, durante estes grandes eventos com a presença do Sumo Pontífice, havia muita alegria e emoção. O papa, ao atravessar quase todo o aeroporto para chegar no palco principal, onde estava o altar, parou varias vezes para abraçar e abençoar algumas crianças. Já no caminho para o aeroporto, muitas famílias jovens realizavam o trajeto como uma pequena peregrinação.