Participe!

Participe!

terça-feira, 21 de outubro de 2014

A família segundo os Papas

“Se o amor é uma relação, constrói-se como uma casa. Não a queiram construir sobre a areia dos sentimentos que vão e vêm, mas sobre a rocha do amor verdadeiro, o amor que vem de Deus. A família nasce deste projeto de amor que quer crescer como se constrói uma casa: que seja lugar de afeto, de ajuda, de esperança”
Francisco, aos noivos, na Praça São Pedro, Dia de São Valentim – 14/02/2014

“Queridas famílias, sede corajosas! Não cedais à mentalidade secularizada que propõe a convivência como preparação ou mesmo substituição do matrimônio. Mostrai com o vosso testemunho de vida que é possível amar, como Cristo, sem reservas, que não é preciso ter medo de assumir um compromisso com outra pessoa”
Bento XVI, na homilia, 05/06/2011

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Celebração da vida

A Semana da Vida na Arquidiocese do Rio de Janeiro, promovida pela Comissão de Promoção e Defesa da Vida, foi comemorada de 1º a 8 de outubro com várias atividades e atitudes concretas em favor de pessoas em situação de grande fragilidade, como mulheres marginalizadas, portadoras de deficiências, em situação de rua e enfermas desamparadas.

Abertura
O bispo auxiliar Dom Antonio Augusto Dias Duarte abriu a Semana da Vida, no dia 1º de outubro, com missa realizada na Capela Nossa Senhora Aparecida, aos pés do Cristo Redentor, no Corcovado. Concelebrada pelo vigário episcopal do Vicariato Norte, padre Cláudio dos Santos, a missa contou com a presença de integrantes do Movimento em Defesa da Vida e do Instituto Eu Defendo, secretárias paroquiais e da cantora Elba Ramalho.

Dia de reflexão e testemunhos
Foi realizado em 4 de outubro, dentro da programação da Semana da Vida, um dia de reflexão e testemunhos, na Igreja São João Batista, em Botafogo.

Confiar em Deus
O evento foi aberto com o depoimento do jovem casal Andréa Ferrari e Pedro Zuazo, casados há quase um ano, e esperando seu primeiro bebê, Luiza.
Eles relataram que, diante da notícia da gravidez, muitos lhes perguntavam por que não esperaram mais tempo para começar a ter filhos, o que, naquele momento, trouxe para eles um misto de alegria e desconforto. Foi então que decidiram, em suas próprias palavras:
“Inverter a lógica, nesta ordem: confiar em Deus, começar uma família, experimentar e arriscar sem medo”.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Ouça a minha voz

O Catecismo da Igreja Católica (CIC), no parágrafo 2270, diz: “A vida humana deve ser respeitada e protegida, de modo absoluto, a partir do momento da concepção. Desde o primeiro momento da sua existência, devem ser reconhecidos a todo ser humano os direitos da pessoa, entre os quais o direito inviolável de todo o ser inocente à vida”.

Desde o momento da concepção, a vida quer ser vivida num lindo, misterioso e milagroso desenvolvimento. Como diz o salmista: “Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe” (Salmo 139,13).


Confira a animação: “Ouça a minha voz”:

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Cardeal Dom Orani fala sobre o Sínodo da Família

No próximo domingo, 5 de outubro, às 10h da manhã (horário de Roma) o santo Padre Francisco celebrará a santa missa na basílica de São Pedro por ocasião da abertura da III Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos. Assim confirmou hoje o porta-voz da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi.
No sínodo participarão 253 pessoas, dentre as quais 14 casais de esposos convidados pelo Papa. Representando o Brasil estarão os cardeais Dom Odilo Pedro Scherer, SP, Dom Orani João Tempesta, RJ, e o Cardeal Dom Raymundo Damasceno, presidente da Conferência episcopal do Brasil, além do casal Hermelinda e Arturo Zamperlini que desde o 1º de setembro são os responsáveis pela Super-região Brasil do Movimento das Equipes de Nossa Senhora.
ZENIT entrevistou o Cardeal Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, com o fim de esclarecer mais o contexto desse sínodo, levantando algumas questões do próprio documento preparatório. Acompanhe abaixo e fique por dentro dessa Assembleia que está a ponto de começar:
***
ZENIT: Dom Dimas Lara, arcebispo de Campo Grande, MS, e ex-secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), disse na reunião do CELAM em preparação ao sínodo dos bispos que é importante “a mudança de metodologia do sínodo”, para poder refletir “uma participação e escuta mútua e a colegialidade dos bispos com o magistério do Santo Padre”. E disse que “Não será uma coleta de sugestões” e que “o leque será aberto para que muitas outras ideias e enfoques sejam encarados”. Poderia dar-nos algum exemplo concreto de como essa mudança de metodologia afeta o presente sínodo?
Card. Orani Tempesta: A metodologia ficou clara. O Papa Francisco divulgou um documento com perguntas sobre o tema para o mundo inteiro, o que demonstrou sua importância devido a quantidade de respostas. Depois realizou um consistório sobre a família. Esse foi mais um passo. Em terceiro, é o que acontece agora: a assembleia extraordinária. O sínodo mesmo acontece em 2015. Esses passos visam encontrar os caminhos para a família e os problemas de hoje. Os passos do sínodo mostram uma metodologia que busca aprofundar o tema pouco a pouco.
ZENIT: Infelizmente, hoje, a família é terrivelmente ameaçada, especialmente pela Ideologia do gênero que, se aplicada, levará à morte da família e da sociedade. Há uma clara consciência do perigo dessa ideologia no seio da Igreja?
Card. Orani Tempesta: Creio que os estudiosos têm advertido, aprofundado, respondido a questão da ideologia do gênero, mas em geral o povo não tem consciência do perigo, não vê com clareza sobre isso no dia a dia. É importante estudar sobre a ideologia de gênero para que se chegue a essa preocupação, esclarecendo a questão nos grupos, nas pastorais para que cada paroquia possa ver, do trabalho local para a consciência global, o perigo da ideologia do gênero.