Participe!

Participe!

terça-feira, 28 de agosto de 2012

A oração une a família




A missa de encerramento da Semana Nacional da Família aconteceu na manhã do dia 18 de agosto, na Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro. Segundo o bispo auxiliar Dom Antonio Augusto Dias Duarte, que presidiu a celebração, as inúmeras atividades formativas e celebrativas realizadas, desde o dia 12, nos vicariatos e nas paróquias, foram sementes plantadas.

“A semana celebrativa foi encerrada, mas a Pastoral Familiar é um trabalho contínuo que busca levar às famílias o próprio Cristo, para que a família seja uma igreja doméstica. A família é concebida em cima do amor, que foi agraciado de uma forma muito especial pelo sacramento do matrimônio. Esse amor só se mantém e cresce se estiver ligado à fonte dos amores que é Deus”, ensinou o bispo.

Dom Antonio destacou que um dos momentos mais importantes da Semana Nacional da Família foi o terço realizado em paróquia dos sete vicariatos, e que foi transmitido pela Rádio Catedral (FM 106,7). Ele ressaltou que foi uma momento importantíssimo, porque o terço coloca as famílias em contato com a Sagrada Família de Nazaré, que é modelo para todas as famílias cristãs e a fonte de onde brotam todos os valores que devem existir na família.

“O terço foi um acontecimento culminante. A oração é a união com Deus. Quando uma família reza a intenção é estar unida ao Senhor, de quem emana todo o amor que Ele quer que exista entre o homem e a mulher, entre pais e filhos e entre irmãos; para que esse amor transborde para a sociedade, para que ela seja também, de acordo com o plano original de Deus, uma grande família, que viva em harmonia, solidariedade, com a paz e a justiça que o Criador quer que existam no meio dos homens”, concluiu.

Fonte: Testemunho de Fé

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Aprofundamento Anual da Pastoral do Batismo


No sábado, dia 11 de agosto, aconteceu nosso segundo e último dia do aprofundamento de 2012. O tema seria: “Porta Fidei” – Carta Apostólica do Sumo Pontífice Bento XVI, entretanto, nosso convidado para a palestra, Pe. Eduardo Braga, infelizmente não pode comparecer.

Pe. Serafim, Assistente Eclesiástico da Pastoral do Batismo, fez a oração inicial, incluindo os diáconos (cujo dia comemorativo havia passado) e os pais (que seria comemorado no dia seguinte.).

Como o Pe. Eduardo não pode estar presente, Padre Serafim, depois de uma breve reflexão, aproveitou para tirar dúvidas dos agentes. Com seu bom humor de sempre, divertiu os presentes! O dia não foi perdido, muito pelo contrário... Muitos casos  foram partilhados e informações importantes foram dadas, assim como pontos esclarecidos.

Valeu, Pe. Serafim!!!

Ano que vem tem mais... Até lá!

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Configurados no amor de Cristo pela Igreja




O amor, antes de ser o fundamento da vida matrimonial, é o fundamento e a realização da vida humana. “Deus, que criou o homem por amor, também o chamou para o amor, vocação fundamental e inata de todo ser humano, pois o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus, que é amor” (Catecismo da Igreja Católica, nº 1604). Criados pelo amor de Deus, o ser humano é relacionado ao amor fontal – Deus – e a estabelecer relações de amor. Disse o Papa João Paulo II, de saudosa memória: “O homem não pode viver sem amor. Ele permanece para si próprio um ser incompreensível e a sua vida é destituída de sentido se não lhe for revelado o amor, se ele não se encontra com o amor, se não o experimenta e se não o torna algo próprio, se dele não participa vivamente”.

O amor é o grande fundamento da vida matrimonial. O amor conjugal é uma resposta a um chamado, a resposta a viver a vocação ao amor. O matrimônio não é só a decisão de um homem e de uma mulher: é a graça que atrai duas pessoas maduras, conscientes, contentes a dar um sentido definitivo à própria liberdade. O amor de um homem e de uma mulher revela algo do mistério de Deus.

A relação de Deus com seu povo no Antigo Testamento, mesmo sendo um pacto jurídico, ultrapassa o nível das coisas jurídicas: da parte de Deus, supõe amor e fidelidade, o hesed (Ex 34, 6-7; Dt 7, 7-8); da parte de Israel exige também amor, fidelidade, hesed (Dt 6,4; Os 4,2; 6,6). O pacto (berît) entre um homem e uma mulher está também estreitamente vinculado com elementos de ordem afetiva: o amor, a fidelidade, o apego do coração (hesed).

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Aprofundamento Anual da Pastoral do Batismo


Como há anos acontece, a Pastoral do Batismo promoveu no sábado, dia 4 de agosto, das 8h30 às 11h30, no Edifício João Paulo II, seu primeiro dia de aprofundamento para agentes e coordenadores, com o tema principal:  “O Ano da Fé”.

Pe. Serafim, assistente eclesiástico do Batismo, fez a oração inicial, inclusive na intenção de todos os padres, pois neste dia 4 de agosto, festejamos o “Dia do Padre”.

O tema do dia 4 foi:  “Discipulado, comprometimento do Cristão”. Tema abordado de maneira simples e objetiva pelo Pe. Cristiano Holtz, que tão amavelmente disponibilizou-se para este fim.

No próximo sábado, dia 11, daremos continuidade e, neste segundo e último dia do aprofundamento de 2012, o tema será: “Porta Fidei, carta apostólica do sumo pontífice Bento XVI”. O convidado para falar sobre este tema será o Pe. Eduardo Braga, que prontamente aceitou nosso convite. Temos certeza de que também  será bastante elucidativa!

Apesar de ser um aprofundamento para agentes da Pastoral do Batismo, todos que queiram participar, serão bem vindos.

Dia 11 de agosto de 2012, de 8h30 às 11h30, no Edifício João Paulo II (2º andar).
Rua Benjamim Constant, 23 - Glória