Participe!

Participe!

terça-feira, 5 de maio de 2015

Família: obra-prima da sociedade

Na audiência geral do dia 29 de abril, realizada na Praça São Pedro, no Vaticano, o Papa Francisco abordou novamente sobre a família, centralizando a sua atenção sobre o matrimônio.
O Papa destacou que a presença de Jesus nas Bodas de Caná revela de modo novo a bondade e dignidade do matrimônio aos olhos de Deus. Trata-se de uma mensagem cuja vigência é mais atual do que nunca, precisamente nestes momentos em que muitos países aumentam as separações e diminui o número de matrimônios.
“A dificuldade de permanecer juntos – seja como casal, seja como família – leva a romper os laços com sempre maior frequência e rapidez, e precisamente os filhos são os primeiros a sofrer as consequências. Se você experimenta desde criança que o casamento é uma ligação ‘a tempo indeterminado’, inconscientemente você vai ser assim. De fato, muitos jovens são levados a desistir do projeto de um vínculo irrevogável e de uma família duradoura”.
Francisco disse: “E isto nos faz recordar o livro de Gênesis, quando Deus termina a obra da criação e realiza sua obra-prima; a obra-prima é o homem e a mulher. E aqui Jesus começa os seus milagres com esta obra-prima em um casamento, em uma festa de núpcias: um homem e uma mulher. Assim Jesus nos ensina que a obra-prima da sociedade é a família: o homem e a mulher que se amam! Esta é a obra-prima”.
Creio que nós – continuou Francisco – precisamos pensar seriamente sobre por que muitos jovens “não querem” se casar, apesar de quase todos desejarem uma segurança afetiva estável e um matrimônio sólido.
As dificuldades não são apenas de caráter econômico, apesar de serem verdadeiramente sérias. Muitos afirmam que a mudança que a mudança ocorrida nestes últimos decênios teve início com a emancipação da mulher. Isso não é um argumento válido, é uma forma de machismo, afirmou o Pontífice.

Solidez
            “Na realidade, quase todos os homens e mulheres sonham com uma segurança afetiva estável, um matrimônio sólido e uma família feliz. A família aparece em cima das preferências dos jovens, mas com medo de falir, muitos a descartam; e este medo de falir é talvez o maior obstáculo para aceitar a palavra de Cristo, que promete a sua graça à união conjugal e à família”.
            O Papa recordou que em Caná, Jesus não só participou nas Bodas, mas salvou a festa com o milagre do vinho e reafirmou:
            “Os cristãos quando se casam ‘no Senhor’ são transformados num sinal eficaz e duradouro do amor de Deus: o matrimônio é uma festa que se renova nas sucessivas estações da vida dos esposos. O testemunho mais persuasivo da bênção do matrimônio cristão é a vida boa dos esposos cristãos e da família. Não há modo melhor para manifestar a beleza deste sacramento”.

Fonte: Jornal Testemunho de Fé – pág. 20